Termogénicos | O que são? Como funcionam? Emagrecem?

Quando se pensa em suplementos para queimar gordura existe uma classe de produtos que vem automaticamente à cabeça: os termogénicos. Neste artigo vamos ver em que consistem estes produtos, como funcionam, assim como os possíveis efeitos colaterais.

O que são termogénicos?

Objetivamente, os termogénicos (também conhecidos como queimadores de gordura) designam uma classe de produtos que têm como principal finalidade aumentar a termogénese, ou seja, a temperatura corporal. Como consequência deste aumento do metabolismo, o organismo consegue gastar mais energia (calorias) nas suas atividades diárias (digestão, exercício físico, etc).

Muitas fórmulas de termogénicos também possuem ingredientes que visam promover a diurese (eliminação de líquidos) e reduzir o apetite. Mas vamos dedicar este artigo essencialmente ao papel dos termogénicos no aumento do metabolismo, já que esse é o principal propósito deste tipo de produtos.

A cafeína e o chá verde são dois dos ingredientes mais encontrados na fórmula dos termogénicos, devido ao seu efeito positivo no aumento do gasto energético em repouso (quantidade de calorias que o corpo gasta para a manutenção das funções vitais quando não está em período de atividade física).

Mas existem muitos mais ingredientes normalmente encontrados nestes produtos. Alguns exemplos: erva-mate, ginseng, capsaicina, guaraná, L-tirosina, L-carnitina, pimenta preta, gengibre, sinefrina, coleus forskohlii, mucuna pruriens, etc.

Como funcionam os termogénicos?

Como é que os termogénicos operam este milagre de aumentar o metabolismo e, por conseguinte, a combustão de gorduras?

Simplificando as coisas, o nosso corpo possui dois tipos de receptores que regulam o metabolismo das gorduras. Eles são conhecidos como receptores adrenérgicos. De um lado temos os receptores alfa, responsáveis pela inibição da lipólise [*1], [*2] (combustão das gorduras para produção de energia), do outro temos os receptores beta, responsáveis pela estimulação da lipólise [*3], [*4], [*5].

Portanto, numa perspetiva de queima de gordura, os receptores alfa podem ser considerados os maus receptores [*6] e os receptores beta podem ser considerados os bons receptores.

termogénicos emagrecem

O papel da genética

A genética desempenha um papel preponderante relativamente à distribuição destes receptores pelo corpo humano [*7].

Certos indivíduos possuem mais receptores alfa (os tais que dizem ao corpo para conservar energia e não queimar gordura). Outros foram abençoados com mais receptores beta, podendo, assim, comer o que bem lhes apetece sem engordar.

A genética também afeta a distribuição e expressão destes receptores. Por exemplo, as mulheres chegam a possuir até 9 vezes mais recetores alfa do que recetores beta na zona das coxas e da anca. Já os homens barrigudos muito provavelmente possuem mais recetores alfa na barriga. Resumindo, algumas áreas do corpo têm mais receptores que inibem a queima de gordura do que recetores que favorecem esse processo.

A palavra adrenérgico vem de adrenalina. Os recetores adrenérgicos são ativados sempre que algum dos neurotransmissores adrenalina, noradrenalina e dopamina se liga a eles.

Alguns fármacos, esteróides anabólicos ou outras substâncias funcionam como antagonistas dos receptores alfa, ou seja, ligam-se a esses receptores e bloqueiam a sua ação (como é o caso da iombina) [*8], [*9]. Outras substâncias funcionam como agonistas dos receptores beta-adrenérgicos, ou seja, ativam estes receptores. Dessa forma, conseguem maximizar a queima de gordura.

A maior parte dos ingredientes presentes nos termogénicos tem como finalidade estimular a produção de neurotransmissores que se vão ligar aos receptores adrenérgicos-beta. A cafeína bloqueia os recetores de adenosina, uma molécula que inibe a circulação de adrenalina. A L-tirosina é precursora da noradrenalina e da dopamina. O extrato de mucuna pruriens contém L-dopa, que estimula a produção de dopamina.

Outros ingredientes procuram aumentar o metabolismo através de outras vias.

Os termogénicos emagrecem?

Certamente já viste diferentes pessoas terem diferentes opiniões sobre o mesmo queimador de gordura. Uns conseguem perder uns espantosos 5kg numa semana com determinado termogénico, outros nem 1 kg. Mais uma vez, a individualidade biológica é importante.

Se fores uma pessoa altamente sensível a estimulantes, um termogénico com uma dose elevada de cafeína poderá proporcionar-te resultados satisfatórios. A qualidade do treino e da dieta também contribuirão para a eficiência do queimador de gordura.

Existem alguns estudos que analisaram os efeitos de algumas soluções termogénicas. No entanto, na maioria delas foram utilizadas bebidas termogénicas comercializadas no mercado e os estudos foram patrocinados pelas respectivas marcas. Temos como exemplos o Dyma-Burn Xtreme [*10], [*11], o Meltdown [*12], [*13], [*14], [*15], JavaFit [*16] e a Celsius [*17].

Por outro lado, num estudo onde foi utilizada uma baixa dose de cafeína, a bebida termogénica não produziu efeitos a nível da queima de gordura [*18].

Devido ao seu efeito estimulante, os termogénicos aumentam o ritmo cardíaco, não sendo, por isso, aconselháveis a pessoas com problemas de coração. Alguns dos possíveis efeitos colaterais são insónias, dores de cabeça, tonturas, nervosismo e sensação de mau-estar. Também não são recomendáveis a pessoas que apresentem disfunções na tireóide.

É importante consultar sempre as advertências presentes nas embalagens destes produtos, bem como seguir as doses recomendadas.

Neste vídeo discuto os pontos fundamentais apresentados neste artigo:


REFERÊNCIAS OU NOTAS:
[*1] Wright, E. & Simpson, E., Inhibition of the lipolytic action of beta-adrenergic agonists in human adipocytes by alpha-adrenergic agonists, The Journal of Lipid Research, 22, 1265-1270, Novembro 1981
[*2] Stich, V. et. al., Activation of alpha(2)-adrenergic receptors impairs exercise-induced lipolysis in SCAT of obese subjects, Am J Physiol Regul Integr Comp Physiol. 2000 Aug;279(2):R499-504
[*3] Mauriège, P- et. al., Human fat cell beta-adrenergic receptors: beta-agonista-dependent lipolytic responses and characterization of beta-adrenergic binding sites on human fat cell membranes with highly selective beta-antagonists, Journal of Lipid Research 29 (587-601), 1988
[*4] Louis, S. et. al., Role of beta-adrenergic receptor subtypes in lipolysis, Cardiovasc Drugs Ther. 2000 Dec;14(6):565-77
[*5] Meyers, D. et. al., β3-Adrenergic Receptor-Mediated Lipolysis and Oxygen Consumption in Brown Adipocytes from Cynomolgus Monkeys, The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism February 1, 1997 vol. 82 no. 2 395-401
[*6] Os receptores adrenérgicos-alfa subdividem-se em receptores alfa-1 e receptores alfa-2. Segundo alguns estudos, os receptores alfa-1 não parecem ter tanto impacto na lipólise. Ver
AQUI e AQUI.
[*7] Mills, P. et. al., Racial Differences in Epinephrine and β2-Adrenergic Receptors, Hypertension. 1995; 25: 88-91
[*8] Lafontan M., Berlan M., Galitzky J., Montastruc J. L. Alpha-2 adrenoceptors in lipolysis: alpha 2 antagonists and lipid- mobilizing strategies. Am J Clin Nutr 1992; 55: 219S-227S,
[*9] Galitzky J., Taouis M., Berlan M., Riviere D., Garrigues M., Lafontan M. Alpha 2-antagonist compounds and lipid mobilization: evidence for a lipid mobilizing effect of oral yohimbine in healthy male volunteers, Eur J Clin Invest 1988;18: 587-594,
[*10] Outlaw, J. et. al., Effects of ingestion of a commercially available thermogenic dietary supplement on resting energy expenditure, mood state and cardiovascular measures, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2013, 10:25
[*11] Urbina, S. et. al., Effects of ingesting Dyma-Burn Xtreme, a thermogenic dietary supplement on metabolic rate and subjective measures of mood state, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2012, 9(Suppl 1):P31
[*12] Rashti, S. et. al., Thermogenic effect of Meltdown RTD™ energy supplement in young healthy college women, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2009, 6(Suppl 1):P5
[*13] Hoffman, J. et. al., Thermogenic effect of an acute ingestion of a weight loss supplement, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2009, 6:1
[*14] Jitomir, J. et. al., VPX Meltdown® significantly increases energy expenditure and fat oxidation without affecting hemodynamic variables in a randomized, double-blind, cross-over clinical research trial, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2008, 5(Suppl 1):P28
[*15] Hoffman, J. et. al., Thermogenic effect of an acute ingestion of a weight loss supplement, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2008, 5(Suppl 1):P7
[*16] Taylor, L. et. al., Acute effects of ingesting Java Fit™ energy extreme functional coffee on resting energy expenditure and hemodynamic responses in male and female coffee drinkers, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2007, 4:10
[*17] Dalbo, V. et. al., Acute effects of ingesting a commercial thermogenic drink on changes in energy expenditure and markers of lipolysis, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2008, 5:6
[*18] Walter, A. et. al., Acute effects of a thermogenic nutritional supplement on cycling time to exhaustion and muscular strength in college-aged men, Journal of the International Society of Sports Nutrition 2009, 6:15

Autor: Marcos Sabino

Marcos Sabino criou o Tá Fitness em 2012. Licenciou-se em Comunicação Social na Universidade do Minho, onde também tirou o mestrado. Trabalhou 4 anos na Prozis, em Portugal, e em 2014 mudou-se para Inglaterra onde trabalha desde então na Myprotein. Possui um canal no Youtube onde dá dicas de nutrição e suplementação e um perfil no Instagram (@marcossabinofitness).

Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *