Mucuna pruriens | Para que serve? Efeitos colaterais? Como tomar?

Mucuna pruriens. O mais provável é o nome não te ser familiar. No entanto, caso sejas consumidor regular de anabólicos naturais, talvez já tenhas visto este ingrediente na fórmula dos produtos mais recentes desta categoria.

Mucuna pruriens é um dos ingredientes utilizados pelas marcas de suplementação nos seus anabólicos naturais para estimular a produção de testosterona. Além disso, é também utilizado como um anti-depressivo e como um potenciador da libido.

De onde vêm estas caraterísticas? Este artigo faz uma exposição científica deste ingrediente e se, de fato, a Mucuna pruriens é um pró-hormonal eficiente.

O que é Mucuna pruriens?

A Mucuna pruriens é uma planta muito popular na Índia, onde é utilizada há várias décadas para fins medicinais, nomeadamente, para o tratamento da infertilidade masculina e consequente aumento da libido.

Como quase todos os suplementos derivados de plantas, a mucuna pruriens possui propriedades antioxidantes [*1]. Além disso, devido ao fato de ser um legume, possui igualmente valor nutricional. Na realidade, os feijões de mucuna pruriens contêm entre 20 a 35% de proteína [*2].

suplemento de mucuna pruriens

Para que serve Mucuna Pruriens?

O que torna esta planta tão interessante para os investigadores é o fato de ela ser uma fonte de L-Dopa. Este químico é o precursor de uma hormona conhecida como Dopamina. Ou seja, sem L-Dopa, o organismo não produz dopamina.

A dopamina é responsável pelas respostas emocionais, como os sentimentos de prazer e euforia, desempenhando igualmente um papel importante na aprendizagem e na capacidade de memória. Estudos demonstram que a falta crónica de dopamina é responsável pela doença de Parkinson [*3].

A dopamina é também uma hormona bastante relevante para quem pratica musculação com o objetivo de aumentar a massa muscular. Isto porque os estudos científicos têm sugerido que a dopamina e a testosterona têm uma relação próxima. Quando os níveis de testosterona aumentam, os níveis de dopamina vão atrás. E vice-versa.

Outro fator importante é que a dopamina baixa significativamente os níveis de prolactina. A prolactina é a hormona responsável por estimular a produção de leite nos seios durante o período de aleitamento materno. Acontece que ela também está presente nos homens, ainda que em menores quantidades.

Naturalmente, a prolactina é uma hormona que impacta negativamente a produção de testosterona. Por essa razão, se uma substância tem a capacidade de diminuir os níveis de prolactina, isso significa que ela contribuirá igualmente para o aumento dos níveis de testosterona.

Mas chega de nomes esquisitos terminados em ina. Não esqueçamos o que nos levou até aqui: a L-Dopa presente na mucuna pruriens.

Mucuna pruriens é eficaz no tratamento da infertilidade?

Um dos primeiros estudos a sugerir que a mucuna pruriens pode impactar os níveis hormonais foi publicado em 1995. Neste estudo, realizado em ratos, foi verificado que uma dose elevada de L-Dopa estimula a produção de hormona luteinizante, uma hormona indispensável para a síntese de testosterona [*4].

O efeito da mucuna pruriens no tratamento da infertilidade masculina está relativamente bem estudado. Vários estudos realizados em indivíduos com problemas de fertilidade demonstraram que a suplementação com esta planta pode, de fato, melhorar os indicadores de fertilidade.

Num estudo publicado em 2000 realizado em indivíduos com problemas de fertilidade, a suplementação com mucuna pruriens foi capaz de aumentar os níveis de testosterona, hormona luteinizante, adrenalina e noradrenalina, bem como reduzir os níveis de prolactina, o que se traduziu na melhoria da contagem e mobilidade de espermatozóides [*5].

Mais recentemente, em 2010, 60 indivíduos inférteis consumiram 5 gramas de mucuna pruriens durante um período de 3 meses e conseguiram melhorar a qualidade do esperma, bem como reduzir o stress psicológico [*6].

Em 2011, um novo estudo corroborou os resultados do estudo anterior. Este estudo utilizou o mesmo protocolo do anterior: 3 meses de suplementação com 5 gramas de mucuna pruriens. A testosterona aumentou nos indivíduos inférteis (mas não nos indivíduos sem problemas a nível da fertilidade) e os níveis de prolactina diminuíram significativamente [*7].

mulher a praticar exercício

Mucuna Pruriens aumenta testosterona?

Conforme vimos através dos estudos anteriormente citados, a mucuna pruriens parece ter um impacto significativo nos níveis de hormonas consideradas importantes para o ganho de massa muscular, entre as quais a testosterona.

No entanto, a evidência está limitada a pessoas com problemas de infertilidade. É incerto (e improvável, tendo em conta o estudo [*7]) que a mucuna pruriens possa ter o mesmo impacto em pessoas sem problemas a nível da fertilidade.

Como tomar Mucuna Pruriens?

A dose mais comum utilizada tanto nos estudos que se focam na infertilidade masculina é de 5 gramas. O período de suplementação estende-se até aos 3 meses. Qualquer protocolo de suplementação dentro destes moldes é válido.

Tem efeitos colaterais?

A suplementação com mucuna pruriens parece ser relativamente segura. O estudo da referência [*3], realizado em doentes de Parkinson, utilizou doses entre as 15 e as 30 gramas durante um período de 12 a 20 semanas, e apenas foi reportado o caso de um paciente que tinha episódios de vómito. No entanto, isso não parecia estar relacionado com as propriedades bioativas da mucuna pruriens mas sim com a sua digestibilidade.

Conclusão

Tendo em conta tudo aquilo que vimos anteriormente, a mucuna pruriens parece situar-se no mesmo patamar de outros suplementos da categoria de anabólicos naturais: tem efeitos consideráveis em indivíduos com problemas hormonais ou de fertilidade mas a sua utilidade por parte de pessoas saudáveis é questionável.


REFERÊNCIAS OU NOTAS:
[*1] Agbafor KN & Nwachukwu N., Phytochemical Analysis and Antioxidant Property of Leaf Extracts of Vitex doniana and Mucuna pruriens, Biochem Res Int. 2011:459839
[*2] Vadivel, V. et. al., Evaluation of velvet bean meal as an alternative protein ingredient for poultry feed, Animal. 2011 Jan;5(1):67-73
[*3] Katzenschlager, R. et. al., Mucuna pruriens in Parkinsons disease: a double blind clinical and pharmacological study, J Neurol Neurosurg Psychiatry. 2004 Dec;75(12):1672-7
[*4] Yamada, T. et. al., Effect of chronic L-dopa administration on serum luteinizing hormone levels in male rats, Toxicology. 1995 Mar 31;97(1-3):173-82
[*5] Shukla, K. et. al., Mucuna pruriens improves male fertility by its action on the hypothalamus-pituitary-gonadal axis, Fertil Steril. 2009 Dec;92(6):1934-40
[*6] Shukla, K. et. al., Mucuna pruriens Reduces Stress and Improves the Quality of Semen in Infertile Men, Evid Based Complement Alternat Med. 2010 Mar;7(1):137-44
[*7] Gupta, A. et. al., A proton NMR study of the effect of Mucuna pruriens on seminal plasma metabolites of infertile males, J Pharm Biomed Anal. 2011 Jul 15;55(5):1060-6

Autor: Marcos Sabino

Marcos Sabino criou o Tá Fitness em 2012. Licenciou-se em Comunicação Social na Universidade do Minho, onde também tirou o mestrado. Trabalhou 4 anos na Prozis, em Portugal, e em 2014 mudou-se para Inglaterra onde trabalha desde então na Myprotein. Possui um canal no Youtube onde dá dicas de nutrição e suplementação e um perfil no Instagram (@marcossabinofitness).

Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *