É possível perder gordura localizada?

É uma ideia muito romântica. Seria muito bom poder eliminar aquela gordurinha mais saliente ali no lado direito da barriga. Perder gordura localizada é o sonho de qualquer pessoa que embarca num plano de perda de peso.

Segundo publicidades nas revistas e na televisão, isso é possível. E segundo os estudos científicos, é possível? Neste artigo, vamos discutir esta questão.

Posso queimar gordura localizada?

Perder gordura localizada é uma ideia muito popular, principalmente porque parece fazer sentido: se eu fizer muitos abdominais, vou perder a gordura acumulada na zona abdominal pois estou a usar os músculos dessa região. A realidade, contudo, é diferente.

Comecemos por falar de um estudo realizado com tenistas, em 1971 [*1]. Como é sabido, ao longo da sua vida, os braços dos tenistas sujeitam-se a esforços e intensidades diferentes. Temos o célebre tenista espanhol Nadal, que tem o braço esquerdo mais volumoso do que o direito, por ser o braço que utiliza para jogar.

Se esta ideia de perder gordura localizada nas zonas mais fisicamente activas fosse verdadeira, seria de esperar que os braços dominantes dos jogadores tivessem camadas de gordura subcutânea mais finas do que os braços não dominantes. Mas não foi isso que os investigadores observaram.

perder gordura localisada

Quando eles mediram a espessura de gordura subcutânea em pontos específicos ao longo dos braços dos jogadores, eles não encontraram nenhuma diferença estatisticamente significativa entre os braços direito e esquerdo.

Mais recentemente, num estudo de 2007 conduzido pela Universidade de Connecticut, 104 participantes completaram um programa de treino de resistência durante doze semanas em que o seu braço não dominante foi exercitado de forma condicionada. A avaliação da gordura subcutânea ,através de ressonância magnética, antes e depois do programa revelou que a perda de gordura foi generalizada, em vez de ocorrer apenas no braço mais treinado [*2].

Já mais recentemente, em 2011, um estudo publicado no Journal of Strenght & Conditioning Research mostrou que seis semanas de treino de abdominais não foi suficiente para reduzir a gordura subcutânea abdominal [*3]. Ou seja, fazer abdominais não ajuda a perder gordura na barriga.

Por que não é possível perder gordura localizada?

Se entendermos como funciona o nosso organismo, facilmente perceberemos por que razão não é possível perder gordura apenas em determinados pontos. A gordura contida nas células de gordura existe na forma conhecida como triglicéridos. As células musculares, no entanto, não podem usar diretamente os triglicerídeos como combustível. Seria como querer usar petróleo bruto num carro.

Em vez disso, a gordura é dividida em glicerol e ácidos graxos livres, que, em seguida, entram na corrente sanguínea. Como resultado, a gordura quebrada durante o exercício físico, para ser usada como combustível, pode vir de qualquer lugar do corpo, e não apenas da parte que está sob mais tensão.

É por tudo isso que fazer abdominais não vai reduzir a gordura na barriga, as flexões não vão reduzir (necessariamente) a gordura no peito, os agachamentos não vão reduzir a gordura nas coxas. Isto para não falar que tudo isto são exercícios que utilizam mais o sistema energético anaeróbico, que conduz a mínimas perdas de gordura. Para saberem como efectivamente se pode perder peso, leiam o artigo “Quais são os melhores exercícios para queimar gordura e perder peso?“.

Conclusão

Em última análise, a perda de gordura não se resume a exercícios localizados. O princípio básico para a perda de peso é gastar mais calorias do que aquelas que se consomem.

Fazer 100 abdominais por dia pode, efectivamente, fortalecer os músculos abdominais, mas dificilmente vai torná-los mais visíveis, a menos que também adoptes outras medidas para reduzir a tua gordura corporal total. Se combinares exercícios cardiovasculares com o treino de musculação e uma nutrição equilibrada, as células de gordura não têm hipótese!


Referências ou notas:
[*1] GRANT GWINUP, REG CHELVAM & TERRY STEINBERG, Thickness of Subcutaneous Fat and Activity of Underlying Muscles, Ann Intern Med. 1971;74(3):408-411
[*2] Kostec, M. et al, Subcutaneous fat alterations resulting from an upper-body resistance training program, Med Sci Sports Exerc. 2007 Jul;39(7):1177-85
[*3] Vispute, S. et al, The effect of abdominal exercise on abdominal fat, J Strength Cond Res. 2011 Sep;25(9):2559-64

Autor: Marcos Sabino

Marcos Sabino criou o Tá Fitness em 2012. Licenciou-se em Comunicação Social na Universidade do Minho, onde também tirou o mestrado. Trabalhou 4 anos na Prozis, em Portugal, e em 2014 mudou-se para Inglaterra onde trabalha desde então na Myprotein. Possui um canal no Youtube onde dá dicas de nutrição e suplementação e um perfil no Instagram (@marcossabinofitness).

Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *